Aprendendo a gostar

Aprendendo a gostar grécia

O tempo passa voando. E a maior prova disso é que faz hoje 15 meses que cheguei a este país que outrora  me era desconhecido. Apetecido e desejado por muitos e pela qual, hoje, tenho um carinho especial. Foi um país, uma cidade e um povo que nos recebeu de braços abertos. Com um carinho e loucura que só o povo grego conhece e domina. Mas nem tudo foi fácil. Nem tudo é fácil quando começamos. Ou reconheçamos, neste caso.

Partimos para cá atrás de um sonho, de uma carreira e acima de tudo de um futuro melhor. Abdicamos de umas coisas, pausamos outras mas acima de tudo acreditamos. Acreditamos que foi a  decisão certa e que nos continuará a dar frutos num futuro próximo. Mas como tudo na vida, nada vem de bandeja. Existem dias bons, outros menos bons e aqui todos eles são uma autêntica montanha russa de sentimentos. Tem dias que passam num ápice e tem alturas que os meses se arrastam parecendo anos. Tem dias que choro e quero voltar para casa, para perto da família e tem dias que me esqueço de tudo e simplesmente pertenço a esta cidade. Uma cidade gigante, tão diferente, que aprendi a gostar e que acima de tudo vai deixar sempre saudades.

 

…do café
Esplanada, cafés e outros afins. Vai ser sempre o ícone de lembrança deste país. Fredddos capucinoscapuccinos latte já fazem parte de mim. Mais do meu namorado até. Tanto fazem, que bastou ir a Portugal 2 meses para desejar todos os dias este café em vez da famosa bica.

…das esplanadas
Do dilema constante e diário que é uma simples ida ao café. Se em Portugal abre um café diferente, ou um restaurante bonito com um ótimo design é notícia em todo o lado. Aqui a realidade é outra e a vida também. O ganha pão deles é à base dos cafés e restaurantes, e todos eles são incrivelmente bonitos e bem decorados. A vontade é de sentar e conhecer todos eles.

… da simpatia do povo
A expressão dos gregos (como já falei anteriormente) não é propriamente a mais querida de todos. Os homens, inclusive, tem uma faces muito sisudas, e eu até acho de maus e de muito sérios. Mas quem vê caras não vê corações, e esta expressão explica tudo aquilo que os gregos são. Pessoas super acolhedoras, respeitosas e simpáticas.

… de Agrínio
É grande, tem poucas lojas, imensas ruas e demasiados habitantes mas não é propriamente a  cidade mais bonita, a mais evoluída, a mais procurada, a mais moderna, a maior ou outra coisa que a torne diferente de todas as outras, mas a verdade é que é uma cidade muito calma e onde sempre me senti deveras segura.

…da condução doida e sem regras
Os italianos têm uma péssima fama no que diz respeito à condução. Mas eu a esses não conheço. E até ver, pra mim, os gregos são o terror das estradas. Se há lugares no mundo que ensinam a usar cinto de segurança, aqui não é um deles. Como não ensinam a parar nas passadeiras ou a usar capacetes. Linhas contínuas ou descontínuas também não é o forte deles. Acho mesmo que até nem há nas milhares de estradas. Contudo, treina-se perícias como andar de mota e beber café ao mesmo tempo, a conduzir mota e mandar sms, ou até mesmo andar com o passageiro atrás sentado de lado. A regra aqui é mesmo não haver regras e salvar-se. Afinal a Grécia é um dos países com maior taxa de mortalidade na estrada por alguma razão.

…de viajar cá dentro
A Grécia é o sonho de milhentas pessoas. Idealizam um país com praias lindíssimas, ilhas secretas e com águas transparentes. Mas além de tudo isso, a parte continental é surpreendentemente bonita. Encontramos as mesmas praias que vemos nas fotos e além disso descobrimos cidades cheias de histórias e mistérios.

…da Antirio Bridge
A ponte é a porta de entrada e saída para a maioria das viagens fora de Agrínio. É uma ponte apenas. Grande. Mas a verdade é que foi uma das primeiras imagens que me ficou do dia em que cheguei. Separa Agrinio, de Patras, por exemplo e é como se fosse a separacão entre a calmaria de Agrínio e a vida agitada de Patras. Milhares de pessoas passam esta ponte diariamente para ir trabalhar e regressam ao final do dia. O mesmo nos acontece quando queremos ir as compras, ou quando vamos para Atenas

…do Lago Trichonida
Independentemente da estação do ano, da hora ou até do dia, este é um dos meus lugares preferidos da cidade. Ainda que afastado do centro é um sítio onde reina a paz e a beleza da natureza.

…das inúmeras ruas de sentido único
Estradas com duas faixas é coisa para cidades grandes e importantes, e aqui isso não há. No centro da cidade todas as ruas são de sentido único e com stop’s a cada cruzamento. É um autêntico labirinto e requer concentração máxima. Não fossem eles os condutores mais crazy’s.

Artigos relacionados

Grego que é grego … A estadia ainda é recente (7 meses precisamente) mas já deu para saber como é todo o povo grego. Desta forma, hoje apresento-vos algumas das fortes e ...
Baby Shower da Catalina A tarde de ontem teve um sabor especial!!! O dia solarengo e a mulherada juntaram-se para dar as boas vindas à nossa Catalina, que está quase aí! O pr...
Frio, frio, frio 5 meses atrás e lembro-me perfeitamente de ansiar pelo Inverno para poder ficar na cama a ouvir a chuva a bater na janela, e eu enroscada naqueles len...
Sunset in Vonitsa Este país é sem dúvida uma caixinha de surpresas. Tem locais absolutamente fantásticos e com uma beleza natural incomparável. Estes dias deparei-me co...

4 thoughts on “Aprendendo a gostar”

Deixe uma resposta