Karpenisi, a Suiça da Grécia

Desengane-se quem acha que a Grécia é apenas um pequeno país mediterrâneo, com umas centenas de ilhas turísticas e com e umas quantas praias lindíssimas. A Grécia é mais que isso.

Este fim-de-semana, eu e o meu namorado fizemos as malas e rumamos à neve. Sim, porque a maioria das pessoas não sabe, mas a Grécia também tem neve e demasiados locais para os apaixonados por esqui. O destino foi Karpenesi, uma cidade da Grécia Central que faz as delícias para todos os apaixonados pela aventura e pela natureza. A cidade localiza-se na zona de Evrytrania e possui pouco mais de 10 000 habitantes.

Karpenisi, no monte Velouchi, é conhecida pela Suiça da Grécia e tem as estâncias de esqui mais antigas do país. Como tal, nesta altura do ano a região é deveras procurada. Existem no total, 6 pistas, 4 elevadores e bastantes níveis de dificuldade para os aventureiros.

Dia 1

A cidade fica a uma curta distância de oitenta e poucos quilômetros de Agrínio (aqui). Como tal, saímos de casa logo no final de almoço (grego). Á nossa espera tínhamos duas horas de viagem, que se esticaram um pouco mais. As chuvas recentes alagaram muitas das vilas que passamos e estragaram muitas das estradas, desabando com uma das que fazia parte do nosso itinerário. Portanto, o que já era uma viagem demorada, para 80km, ficou ainda mais com os desvios que tivemos de fazer.

Durante a viagem passamos por um dos pontos mais procurados da zona, o mosteiro de Proussos. Este fica localizado na pequena vila de Proussos e é um dos locais mais importantes para a peregrinação na Grécia. No seu interior encontramos em exposição algumas peças antigas, mas é a localização e todo o seu redor que deixa os visitantes sem palavras.

Karpenisi, a Suiça da Grécia

Mesmo em frente ao mosteiro, a cerca de 300 metros encontramos, no alto da colina, a Torre do Relógio.

Feita a visita, que dura pouco mais de 45 minutos fizemo-nos novamente á estrada “perigosa” e quilómetros mais á frente chegamos finalmente ao destino – Karpenisi. Chegamos eram quase 19 horas da tarde, o que já não permitia fazer quase nada.  Como tal, procuramos o hotel e deixamo-nos ficar por lá até á hora de jantar. Ficamos alojados bem no coração da cidade, no City Hotel Apollonion, um dos hóteis mais antigos e conceituados da cidade.

Segundo as informações que nos deram, só havia um restaurante (taverna) na zona e por isso, a escolha era fácil e mais que óbvia.

Dia 2

Saímos do hotel e depois de conhecer o centro da cidade fomos em direcção à estância de esqui. Mas mais ma vez, os planos mudaram. Os termómetros rondavam os -8 e era previsto chegar ao -12 naquele dia. As estradas no alto da colina estavam em gelo e havia trânsito. Não havia máquinas a limpar as estradas e muitos dos carros não estavam preparados e derrapavam. Faziam marcha atrás pela colina e o nosso foi um deles também. Não levamos correntes para os pneus e tivemos de esquecer a estância.

Ficamo-nos pelas zonas que envolviam as pistas e acho que foi a melhor coisa que nos podia ter acontecido. Conseguimos mais tempo e descobrir outros locais da cidade tão ou igualmente bons.

O dia estava frio, muito frio até. 5 camisolas, uns jeans, meias elásticas, mais 2 pares de meias, 2 casacos e luvas e a coisa lá se remediava. Mas para aquecer um pouquinho, decidimos ir tomar um chocolate quente ao Sallon Park. Um pequeno parque que reproduz os cafés antigos dos filmes.  Existem cavalos e outros animais, um comboio turístico, parede de escalada e umas quantas atividades para animação das crianças.

Com muito tempo e em conversa com os residentes decidimos vir por outro caminho para casa. E que caminho esse…. Foi das estradas mais bonitas e que mais gostei de fazer. A natureza deixava-nos sem palavras e a cada passo nós parávamos para tirar fotos, mas nenhuma delas fazia jus a tamanha beleza.

Depois de umas quantas paragens, era hora de voltar a casa. De peito cheio e de ótimas recordações.

Artigos relacionados

A small guide   Faz hoje precisamente 7 meses que cheguei a este país que aos poucos vou conhecendo e gostando cada vez mais! Não vivo na capital nem em nenh...
Grego que é grego … A estadia ainda é recente (7 meses precisamente) mas a suficiente para conhecer bem este povo que me rodeia. Desta forma, hoje apresento-vos algumas d...
Kalo mina!! Martis Kalo mina!! É desta forma que todos os gregos desejam um "ótimo mês". É dito sempre no primeiro dia do mês e deseja a todos amor e hospitalidade...
Welcome 2017 Foi a primeira vez! A primeira vez longe dos pais, da irmã, dos amigos e até mesmo dos conhecidos. Foi a primeira vez que comemorei a viragem do ano ...

10 thoughts on “Karpenisi, a Suiça da Grécia”

  1. Nunca fui à Grécia (aiiiinda) mas realmente transmitem-nos a ideia do calor, só. Não sou grande fã de frio, mas as paisagens com neve apaixonam-me! As fotos estão todas super bonitas.
    Muito obrigada pelo comentário! Vou ficar por aqui 🙂
    Beijinho

Deixe uma resposta